Dia Mundial sem Carro

Dia Mundial sem Carro: como reduzir poluentes e trânsito e dar exemplo aos filhos

Neste dia 22 de setembro celebramos o Dia Mundial sem Carro, movimento que nasceu na França, em 1997, e hoje é comemorado em mais de 42 países, como é o caso do Brasil, onde várias cidades estão envolvidas, com o desenvolvimento de atividades e eventos em defesa do meio ambiente e da qualidade de vida.

O objetivo do Dia Mundial sem Carro, desde sua primeira edição, é criar motivação para que as pessoas experimentem meios de transporte mais sustentáveis e saudáveis. Conversamos com a especialista em Gestão e Direito de trânsito, Mércia Gomes, sobre os poluentes emitidos pelos veículos e o que todos podem, e devem, fazer para reduzir estas emissões e dar bons exemplos para os seus filhos.

Segundo Mércia, ainda pouco se fala dos gases poluentes.

“Devemos esclarecer que a poluição é a maior causadora do aquecimento global, além de ser um dos principais motivos da redução de expectativa de vida nas grandes cidades”, alerta.

Como sabemos, deixar o carro encostado 100% do tempo é inviável, mas para minimizar os efeitos nocivos, a especialista dá dicas importantes.

“Acredito que, atualmente, muitos motoristas estão se conscientizando quanto à correta utilização do veículo, com afinco na diminuição de poluentes e aumento na qualidade de vida, dessa maneira, são várias as formas de contribuição para a estatística ser apresentada com diminuição da poluição na grande cidade. Alguns dos procedimentos para diminuir a poluição são a manutenção preventiva do carro, abastecer com combustível de qualidade, usar a marcha no tempo certo, acelerar com moderação dentro do regulamentado e economizar o uso de ar condicionado”, diz.

A profissional ainda mostra que as pessoas tiveram a chance de perceber a diferença pela qual passamos na qualidade do ar em evento recente.

“Junto com a greve dos caminhoneiros surgiu a possibilidade de conhecermos uma vida com qualidade, sem poluição, com uma oportunidade para enxergarmos a quantidade de poluição que criamos com os carros e como o transporte a pé ou de bicicleta pode, sim, ser viável. Quando uma pessoa escolhe usar o carro em vez do ônibus significa dizer que ela contribui com 45 vezes mais emissões de dióxido de carbono na atmosfera e 30 vezes mais de monóxido de carbono. Saber disso torna mais fácil entender porque São Paulo, a maior cidade brasileira, registrou queda de 50% na poluição do ar no período da crise do abastecimento de combustíveis”, relata Mércia.

A especialista indicou quais medidas cada um de nós pode tomar para auxiliar na redução da poluição do ar, ocasionada pelos carros que emitem substâncias nocivas ao meio ambiente e à saúde, como o monóxido de carbono, que é tóxico e pode provocar alterações do sistema nervoso central, bem como outros gases presentes na fumaça dos carros, que podem originar danos aos pulmões e para outros órgãos do aparelho respiratório.

“A diminuição da área de estacionamento é fundamental. O carros ocupam muitos outros espaços da cidade que poderiam ser aproveitados para outros fins. Para se ter ideia, 25% da área construída no município paulistano é vaga de estacionamento. Nesse sentido, o compartilhamento de veículos também pode ser importante pois, além de reduzir o número de novas aquisições, os carros já em circulação acabam tendo mais uso, o que minimiza o tempo que eles ficam parados, demandando assim menos espaço de estacionamento. Outro ponto é incentivar uma cidade mais viva. Já se perguntou por que costumamos gostar tanto das cidades europeias? Com certeza, um dos fatores que chamam a atenção de um brasileiro é a presença de pessoas na rua, a vivacidade desses lugares. São realidades bem diferentes, mas quem possui carro utiliza bem mais do que o necessário, restringindo ainda mais o seu contato com a cidade e com as outras pessoas”, fala.

Por fim, Mércia recomenda pequenas e simples ações que podemos adotar diariamente para contribuir com a redução da poluição.

“Use o transporte público no deslocamento para o trabalho e demais locais, ele é uma boa alternativa. Faça caminhadas, pois é uma forma de rever hábitos e mudar comportamentos, como em deslocamentos curtos, idas ao mercado, padaria e até mesmo ao trabalho. Vá de bicicleta, o meio de transporte mais econômico e sustentável que alia locomoção ao exercício físico. Pratique a carona na ida ao trabalho e mesmo para compromissos ou lazer. É válido oferecer e pegar carona com conhecidos. Também otimize a agenda alinhando compromissos para um mesmo dia”, completa.

E você, como tem sido um bom exemplo ecológico aos seus filhos, para reduzir o trânsito e a emissão de poluentes? Quais das dicas que a especialista citou ao longo da entrevista você já pratica? Se tiver alguma prática que não foi citada, compartilhe conosco, comentando em nosso Instagram e/ou Facebook. E vale lembrar que, ao usar o aplicativo Filho sem Fila na escola dos seus filhos, além de economizar cerca de 30 horas por ano de trânsito, você ainda ajuda a reduzir as filas em 75% e deixa de emitir, aproximadamente, 3.000 gr de CO2 no ano, saiba mais em nosso texto sobre a Gamificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *