Design Thinking na escola?

Se você nunca ouviu falar, é um conceito que surgiu dentro da área de design e um recurso já utilizado no âmbito corporativo, mas que hoje educadores começaram a explorar dentro das salas de aula, para promover habilidades de mudança. O objetivo é estimular o aluno por meio de abordagens específicas que o faça pensar e ter ações criativas e críticas, para torná-lo um ser humano consciente e com o desejo de transformar o mundo.

Na prática, a metodologia proposta é dividida em cinco etapas: descoberta, interpretação, ideação, experimentação e evolução.

Descoberta: levantar questões em como abordar e solucionar um desafio.
Interpretação: transformar ideias e aprendizado em interpretações, por meio da bagagem individual de cada um.
Ideação: transformar pensamentos fora da caixa em ideias visionárias.
Experimentação: concretizar ideias, experimentando algumas possíveis soluções para o desafio lançado.

Evolução: experimentar algo novo e aprimorá-lo, desenvolvendo o conceito, planejando os próximos passos e compartilhando ideias com outras pessoas.

Lia Muschellack, Director of Technology da escola Avenues, cliente Filho Sem Fila, fala um pouco sobre como o Design Thinking é utilizado na sua escola:

“O processo do design thinking é aplicado na maioria das atividades acadêmicas, já que todo o nosso currículo é baseado em projetos desenvolvidos pelos próprios alunos. Especialmente na Primary Division, que engloba a Educação Infantil e o Ensino Fundamental I, temos uma professora de Design Thinking contratada, e todas as turmas têm uma aula semanal na grade curricular para acompanhar os projetos de perto.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *